O Fundo de Conservação das Espécies Mohamed bin Zayed (MBZ) está a aceitar candidaturas para fornecer subsídios direccionados a iniciativas individuais de conservação de espécies, reconhecer líderes no terreno e elevar a importância das espécies no debate mais amplo sobre conservação.

Tens até à próxima 5ª feira, dia 30 de junho, para submeteres uma candidaturas a este fundo, que pretende apoiar projetos que contribuiam para conservação de espécies vegetais, animais e fungos, sem discriminação com base na região ou espécies selecionadas.

As subvenções serão concedidas com base na sua capacidade de satisfazer critérios pré-determinados pelo Fundo para as Espécies e são no máximo de 25.000 dólares por cada projeto.

Critérios de Elegibilidade

  • Qualquer pessoa diretamente envolvida na conservação de espécies pode candidatar-se ao Fundo para receber uma subvenção
  • O Fundo considerará subsídios para a conservação de qualquer espécie animal, vegetal ou fúngica ameaçada ou pouco conhecida
  • Dependendo do tipo de projeto de conservação e do trabalho envolvido, o Fundo considerará a possibilidade de cobrir despesas salariais ou custos de viagem para um projeto específico. Isto será normalmente para o pessoal de apoio nos países em desenvolvimento. No entanto, isto só pode fazer parte da subvenção global, tal como oficialmente solicitado. O Fundo não considerará pedidos de subvenção que apenas cubram despesas salariais ou de viagem.
  • O Fundo pretende ser o mais flexível possível ao analisar os pedidos e ter em conta tantos factores diferentes ao avaliar o mérito de um projecto sugerido. Para apoiar isto e tentar racionalizar o processo de candidatura, o processo de revisão é mantido relativamente simples.
  • As candidaturas devem ser apresentadas em inglês.
  • Geralmente o Fundo está principalmente interessado em prestar apoio ao trabalho de conservação in situ no terreno (tal como trabalho de levantamento e recolha de dados, acção directa, gestão da recuperação, formação e afins), concentrando-se nas espécies no seu habitat natural. No entanto, a importância do trabalho ex situ (análise genética, seminários, populações ex situ, etc.) é também reconhecida, pelo que podem ser concedidas algumas subvenções a projectos que se concentrem no trabalho de conservação ex situ em determinadas circunstâncias.
  • Custos principais: O Fundo não contribuirá para os principais custos de funcionamento de uma organização ou despesas administrativas, e no entanto reconhece que por vezes os salários, os subsídios, as ajudas de custo e os custos de vida relacionados com projectos podem ser uma parte vital do trabalho de conservação in situ.
  • Espécies: Geralmente o Fundo prefere apoiar projectos centrados numa única espécie, mas também reconhece que em algumas circunstâncias geográficas e taxonómicas faz mais sentido agrupar uma série de espécies.

Para mais informação sobre como se candidatar visite este site.

Categorias

Tags: