O Fundo de Parcerias Ecossistêmicos Críticos (CEPF) e a BirdLife International, como equipe de implementação regional (RIT) para o hotspot, estão convidando propostas na forma de cartas de inquérito (LOIs) para grandes subvenções de organizações não governamentais, grupos comunitários, empresas privadas, universidades e outras organizações da sociedade civil (CSOs).

O CEPF é uma iniciativa conjunta da L’Agence Française de Développement, Conservation International, da União Europeia, do Global Environment Facility, do Governo do Japão e do Banco Mundial. Um objetivo fundamental é garantir que a sociedade civil esteja engajada na conservação da biodiversidade.

O Hotspot de Biodiversidade da Bacia do Mediterrâneo é o segundo maior hotspot do mundo e o maior das cinco regiões do clima mediterrâneo do mundo. O nicho de investimento do CEPF no Mediterrâneo foi formulado por meio de um processo participativo que envolveu a sociedade civil, doadores e atores governamentais em toda a região.

Financiamento Informações

  • US$ 20.000 a US$ 110.000.

Atividades elegíveis

  • As LOIs só serão aceitas para a seguinte direção estratégica e país:
    • Direção Estratégica 1: Apoiar a sociedade civil a engajar os stakeholders na demonstração de abordagens integradas para a preservação da biodiversidade nas áreas costeiras.
    • País: Cabo Verde
  • Sob a Direção Estratégica 1, as seguintes prioridades de investimento são elegíveis sob este edital:
    • Prioridade de Investimento 1.1: Engajar os stakeholders locais em ações de conservação que abordam ameaças a elementos-chave da biodiversidade em KBAs prioritários na zona costeira.
    • Prioridade de Investimento 1.3: Apoiar a sociedade civil a se envolver com os governos locais ou nacionais para a conservação da biodiversidade em processos integrados de gestão da zona costeira, uso da terra e planejamento de desenvolvimento.
  • Mais especificamente, o CEPF espera apoiar projetos que visam:
    • Apoiar a criação de uma nova área protegida por meio de iniciativas inovadoras de gestão.
    • Melhorar a gestão das áreas protegidas existentes, inclusive por meio do início da cogestão do local e/ou através da elaboração/atualização/implementação de documentos estratégicos, como planos de gestão.
    • Desenvolver ou fortalecer ações concretas de conservação que visam proteger espécies ameaçadas.
    • Melhorando o conhecimento e o monitoramento.
    • Apoiar as melhores práticas para a pesca artesanal (em particular, melhorar as práticas de pesca sustentável, reduzir a captura e construir sinergias com áreas marinhas protegidas).
    • Mobilizando o setor privado local em apoio a práticas favoráveis à biodiversidade, apoiando pequenos negócios no ecoturismo, pesca local, valorização de produtos locais (peixes, conchas, produtos alimentícios), apoio a agricultores locais ou cooperativas, etc.

Critérios de elegibilidade

  • Organizações não governamentais, grupos comunitários, universidades e empresas privadas podem solicitar financiamento. Os indivíduos devem trabalhar com organizações da sociedade civil para desenvolver aplicações em vez de aplicar diretamente.
  • As organizações devem ter sua própria conta bancária e ser autorizadas pelas leis nacionais relevantes para receber contribuições de caridade.
  • Empresas ou instituições governamentais só são elegíveis se puderem demonstrar que a empresa ou instituição tem:
    • uma personalidade jurídica independente de qualquer agência ou ator do governo;
    • a autoridade para solicitar e receber fundos privados; E
    • não pode afirmar uma reivindicação de imunidade soberana.
  • As subvenções não podem ser utilizadas para:
    • a compra de terras, reassentamento involuntário de pessoas ou atividades que afetam negativamente os recursos culturais físicos, incluindo aqueles importantes para as comunidades locais.
    • atividades que afetam negativamente os povos indígenas ou onde essas comunidades não têm dado amplo apoio às atividades do projeto.
    • remoção ou alteração de qualquer propriedade cultural física (inclui sítios com valores naturais arqueológicos, paleontológicos, históricos, religiosos ou únicos).

Processo de aplicação

  • As inscrições (LOIs) podem ser enviadas em inglês ou português. Todas as inscrições devem ser enviadas através do site do Conservation Grants. O CEPF não aceitará LOIs por e-mail ou qualquer outro mecanismo. Você receberá um reconhecimento do CEPF confirmando que sua submissão através de Subsídios de Conservação foi recebida. Este é um novo sistema online, portanto, para os candidatos do CEPF oubeneficiários que se inscreveram na Fase I (2012-2017 ), por favor, note que o sistema Grant Writer/GEM não está mais em uso, e você precisará criar uma nova conta na Conservation Grants para se candidatar.
  • Registre uma nova conta clicando no link azul “Novo Usuário?” abaixo da caixa “Entrar”. Os usuários existentes do Conservation Grants podem usar as mesmas informações de login e criar um novo LOI. Perguntas sobre criação de contas ou problemas usando Subsídios de Conservação devem ser enviadas por e-mail. O processo de revisão do LOI levará aproximadamente oito semanas a partir da data do prazo final.
  • O comitê de revisão selecionará as LOIs mais fortes que atendam aos critérios de elegibilidade. Todos os candidatos receberão uma resposta do CEPF após a revisão de seu projeto. As inscrições convidadas para a segunda etapa serão desenvolvidas em uma proposta completa por meio de Bolsas de Conservação. As propostas completas que recebem uma revisão positiva levarão à concessão de uma bolsa entre a Conservação Internacional, como sede da Secretaria do CEPF, e a instituição do requerente (o “beneficiário”). Os subsídios serão denominados em dólares dos Estados Unidos e os acordos de subvenção serão em inglês.

Para obter mais informações, visite

https://bit.ly/36oB7GH

Categorias